PPode-se dizer, em resumo, que este Escritório nasceu da vontade de encontrar soluções para as pessoas, físicas (singulares) ou jurídicas (coletivas), que estejam sendo injustiçadas pela força superior dos mais poderosos, caracterizados, estes, como detentores do poder do capital - leia-se dinheiro ou informação sem acesso -, como também do próprio poder estatal.

As idéias que defende objetivam provar a inequívoca associação do fato econômico com o jurídico, ao seu ver indissociáveis, apenas este último sendo sentido quando os negócios efetivados não satisfazem plenamente às partes, ou seja, não foi estabelecido o equilíbrio que deveria ter acontecido.

O conceito de equilíbrio, e justiça, é almejado em acordo com a ordem expressa de funcionamento: consultoria antes da advocacia.

Isto quer significar, também, a sua opção pela via da solução negociada, pessoal - sem formalidades e, caso não resolvendo, pela linha formal-administrativa, isto é, procura da conciliação, antes de efetivar uma demanda judicial, terceira e última alternativa que faz adotar.

Por que?
Obediência aos ditames da praticidade e da desoneração do Judiciário, além de redução do custo aos clientes. Sem embargo, ninguém ouse pensar que a postura adotada pelo Escritório significa medo à "Luta pelo Direito", muito pelo contrário, é o uso do bom senso e, destaque-se, cada um dos seus sócios e associados é inconteste admirador e discípulo do mestre Rudolf Von Ihering.

Acrescente-se, ainda, que as teses adotadas no Escritório e suas idas à Justiça, em busca de direitos não conciliados, foram testadas primordialmente nas pessoas ou empresas dos seus sócios ou associados.

Isto significa que o Escritório partiu de uma visão holística e dos fundamentos teóricos das Ciências do Direito, da Economia e da Administração aos experimentos que não prejudicassem terceiros, para depois expandir e prestar serviços no próprio mercado.

O primeiro e único objetivo do Escritório é a satisfação plena do seu cliente.

Se, por esta razão, cresceu e tem forte expansão atual, fica o registro indelével de que o seu sucesso foi, é e será sempre ele, o cliente.

Finalmente, o Escritório enaltece e declara o seu apego aos princípios constitucionais do devido processo legal, da ampla defesa e do contraditório, entre outros, logo registrando que com eles e através deles, sempre poderá admitir sua inserção em causas que considere justas, dentro da lei, jurisprudência, costumes, princípios gerais do direito ou doutrina, mesmo que isto venha implicar no patrocínio eventual de uma instituição financeira, de um ato de Estado ou de um suposto delito.

Ao Escritório é absolutamente essencial que exista o direito, ou a sua contrariedade, e que o cliente preencha os seus requisitos: a admissão da consultoria (prevenção, conciliação, mediação, etc.), quando for o caso, examinada sempre antes da advocacia judicante propriamente dita.

Os fundamentos técnicos do Escritório no Brasil tiveram a inspiração nos trabalhos e na inteligência do Dr. Manoel Enildo Lins, Advogado pernambucano, original do Estado de Alagoas, entre outros. Este da Europa, com sede Lisboa, na pátria-mãe Portugal, teve o estímulo inequívoco do economista Clovis Wanderley, carioca/pernambucano e de familia com origem potiguar, a quem se agradece pelo crédito na competência e seriedade do trabalho que se empreende.

Voltar